11 fevereiro 2019

Resenha #109 - Menina Veneno


Menina Veneno é segundo livro da Carina Rissi que eu leio. Foi uma experiência bem inusitada acompanhar essa história, e com certeza, foi uma leitura que me deixou bem dividida e intrigada, do começo ao fim.

Para quem não sabe, essa é uma espécie de releitura do conto de fadas A Branca de Neve. Mas, nessa versão moderna, ao invés da perspectiva da "ingênua e indefesa" enteada, nós somos conduzidos pela perspectiva da "malvada e megera" madrasta. (Observem que utilizei aspas para os adjetivos de ambas as personagens. Vocês entenderam o porquê depois)


Nessa releitura, nós somos conduzidos pela história, sob a perspectiva da Malvina, uma modelo brasileira muito famosa. Ela casou-se com o grande piloto de fórmula Indy, Henrique Neves, e juntos, ele eram considerados o Rei das Pistas e a Rainha das Passarelas.

Depois da morte de seu marido, ela acabou ficando com a tutela da sua enteada, Bianca, a qual ela não gosta nem um pouco.

Sabe aquela história de que a Rainha Má tentou matar a Branca de Neve? Bem, aqui a Malvina afirma que nunca tentou matar a Bianca, e vai nos contar a sua versão dos fatos, para que nós possamos tirar as nossas próprias conclusões.
E você pode me condenar por lutar pelo meu emprego? Por fazer tudo o que puder para manter o posto que batalhei tanto para conquistar?
Eu disse a vocês que fiquei dividida com essa leitura, não é mesmo? Acho que isso se deve, principalmente, a personagem principal que é bem diferente dos personagens principais que costumamos nos deparar nos livros. Acontece que a Malvina é uma mulher bem ambiciosa, e diria até que, muito, bastante arrogante. E por isso, foi bem difícil aguentar ela falando no começo.

Mas conforme a leitura transcorre, pude entender melhor quem ela é e por que ela é desse jeito, e de certa forma, até que comecei a admirá-la e gostar dela (em alguns momentos).

Acredito que a personagem principal é um ponto bem complicado a se julgar, mas se observarmos outros aspectos da história, fico surpresa com o talento da autora.

Em Menina Veneno, a Carina Rissi construiu uma personagem principal bem diferente do padrão e ainda assim, a fez se tornar uma personagem interessante e, de certa forma, cativante. Com seu humor ácido, muitas vezes durante a história, nos deparamos com... vamos chamar de lições de vida dela.
Ficar se lamentando eternamente ou fazer alguma coisa para remediar o fracasso. Você deve estar pensando que não é bem assim que funciona, e eu respondo: é por isso que você ainda anda de ônibus. É mais fácil reclamar que sua vida profissional não deslanchou, que sua conta bancária está sempre no vermelho, que sua vida amorosa anda um caos, do que admitir que ficou pelo caminho por não ter lutado o suficiente diante do primeiro obstáculo.
Além desses diversos trechos onde a personagem "nos dá um puxão de orelha" que nos fazem parar para refletir, também gostei bastante da forma que a autora escolheu para contar a história, rompendo essa barreira entre o leitor e a história. Muitas vezes era como se a personagem estivesse realmente conversando comigo. E até, as vezes, era como se ela adivinhasse o que estava pensando.

Esse tipo de experiência que a Carina Rissi nos proporciona com essa obra é realmente bem divertida. Só por isso, eu já diria que valeu a pena a leitura.
Aí vai mais uma dica: você é o único responsável pela vida que leva. Somos nós quem criamos nossas oportunidades. E para ter sucesso, é preciso estar consciente de que cada um de nós é o único culpado por tudo de bom ou de ruim que nos acontecer. 
Outro ponto que gostei foi que a autora trabalhou em cima da premissa de que, diferente do que costumamos assumir, todas as pessoas tem um lado bom e um lado mal. E isso fica bem visível quando chegamos ao desfecho da história.

Fora esse tópico também gostei bastante de adentrar nesse universo da moda junto com a Malvina. Conhecer as adversidades da profissão e a exposição a mídia que a vida desses profissionais tem. Além de ver como toda essa exposição pode ser boa ou ruim, dependendo de a qual notícia você foi vinculada. 
— Eu só queria manter minha vida como era antes — resmunguei entorpecida.
— E eu só queria que você me amasse. A vida é injusta. Você já deveria saber.
Com relação ao romance, até que temos algumas pitadas dele ao decorrer do livro, mas ele não é o destaque aqui. O que achei bom, pois tiraria o foco da proposta principal da história.


Com relação a capa e diagramação do livro, só o que posso dizer é que a editora realizou um excelente trabalho nessa edição. O livro ficou muito bonito, chega a dar gosto de ver.

A capa por si só já ficou linda, com referências a própria história como o espelho e a maçã, itens marcantes da história de A Branca de Neve, que aqui nessa releitura, também tem o seu papel, apesar de reimaginados de uma forma completamente inusitada.

Não só isso, mas a diagramação também ficou incrível. O livro está cheio de detalhes que remetem a história, e também temos a cada capítulo diversos recortes de reportagens sobre os personagens, como podem ver na foto anterior, que achei bem divertido.

FICHA TÉCNICA  

Nota do crítico: ★★★
Título: Menina Veneno
Série: ------
Volume: Único
Gênero: Ficção 
Autor/Organização: Carina Rissi
Editora: Galera Record
Selo: ------
Páginas: 192
Ano: 2017
Sinopse: Contada sob a perspectiva ferina e cheia de humor ácido de Malvina, a madrasta, essa história vai te surpreender. Da mesma autora da série best-seller Perdida. Você conhece a história de uma certa princesa que sofreu inúmeras tentativas de assassinato por sua madrasta, uma delas com uma maçã envenenada. O bem contra o mal, a indefesa donzela ameaçada pela perversa Rainha... É bonito, não é mesmo? Francamente, me embrulha o estômago só de falar dessa história da carochinha. Eu não sou uma bruxa, não sou má e eu nunca planejei matar ninguém. Por anos, fui a maior modelo do planeta, o nome mais poderoso do mundo da moda... Até o dia em que a insossa da minha enteada, Bianca, roubou a minha maior campanha. Dá pra acreditar? Bianca é tão sonsa... e tem esse arzinho azedo e avoado que me dá vontade de voar no pescoço dela... Eu sei, parece mesmo que eu fiz tudo o que a imprensa me acusa de ter feito. Mas não foi bem assim. Senta aqui e me ouça até o fim. Depois me diga se acha mesmo que mereço o título de Rainha Má... Talvez só Rainha seja muito melhor.


2 comentários:

  1. Oie!

    Deve ser uma história bem legal! Eu adoro esses livros que nos trazem uma história já conhecida, mas numa versão hoje em dia, ainda mais quando são contos de fadas.

    Confesso que ao ler o título do livro, eu já lembrei daquele filme bem besta com esse titulo, kkkk, mas não tem nada a ver com o livro kkk

    bjão
    Início de Conversa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi
      Também acho super interessante essa proposta de fazer releituras de contos de fadas.
      Não sei quanto a esse filme que você falou, mas o título me lembrou bastante uma música antiga, com o mesmo nome.

      Beijos!!

      Excluir

Espero que tenha gostado do post de hoje. Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post, e se devo trazer mais deste conteúdo para o blog.

Ahh, e aproveite e deixe seu link, para que nós do AB possamos retribuir sua visita!