21 março 2019

♫ SOLTA O PLAY ►♫ | The Rose


E voltamos com mais um post da série SOLTA O PLAY, aqui do blog. Dessa vez trago a indicação de um grupo que conheci no começo de 2018 e que, desde então, me apaixono cada vez mais por suas músicas.

Estou falando do The Rose, uma boyband sul-coreana que estreou oficialmente em agosto de 2017, sob o selo da J & Star Entertainment. Composta por quatro integrantes (Woosung, Dojoon, Hajoon e Jaehyeong), suas músicas trazem uma pegada de pop e rock.


MÚSICAS ↴

Como eu sou, particularmente, apaixonada por todas as músicas do grupo, decidi apresentar para vocês apenas algumas das que mais gosto e depois, deixarei os álbuns no Spotify para vocês conferirem mais.

Vamos lá...

SORRY 


Sorry, é a primeira faixa do The Rose, que marcou o início da carreira do grupo. E é também a música que me fez conhecer e decidir acompanhar sua carreira. 

Logo que ouvi essa música, me apaixonei pelas vozes deles e pela melodia da faixa. Me apaixonei ainda mais por ela, depois que li a tradução da música, que traz um sentimento de desespero, de não querer perder o seu grande amor.
Sinto muito, de verdade, sinto muito, então por favor, não vá, garota
Volte para mim novamente
Porque sem você, já não há mais eu

LIKE WE USED TO


Cerca de 2 meses depois de sua estreia, o grupo lançou seu segundo MV, intitulado Like We Used To, que particularmente, até o momento, é a minha música favorita deles. 

Pra mim, esse é aquele tipo de música gostosa de se ouvir, boa para colocar no 'repeat' e ouvir até enjoar.
Aquele tempo era melhor, aqueles dias eram mais felizes
Até os momentos que tentei esquecer
Mas não conseguia por causa desses sentimentos

I.L.Y


BABY


Como disse antes, gosto de todas as músicas do grupo, mas essas foram as que escolhi para apresentar melhor para vocês. Portanto, espero que tenham gostado e que eu tenha influenciado alguns de vocês a acompanhar a carreira deles também.

P.S.: Vale a pena conferir as traduções das músicas. Vocês podem encontrar no youtube mesmo, tem alguns canais que traduzem por lá.

ÁLBUM ↴

Void é o primeiro álbum do The Rose. Ele foi lançado em 16 de abril de 2018, e conta com 8 músicas no total, sendo 3 delas, em versão instrumental.


O segundo álbum do grupo, intitulado Dawn, foi lançado em 04 de outubro de 2018 e conta com 5 músicas, sendo uma delas instrumental.




20 março 2019

Extraordinário


Sabe o que é extraordinário? Alguns vão dizer que extraordinário são  aquelas pessoas incríveis que criaram a internet, que pisaram na lua pela primeira vez, que foram intituladas as mais importantes do mundo.

Bom, isso não deixa de ser incrível, porém, o que eu acho mesmo extraordinário são aquelas pessoas que mesmo com tantas marcas dentro de si, conseguiram ser alguém do bem, não perderam a esperança de que ainda pode haver coisas boas no meio desse caos que outras pessoas causaram a elas.

Sou muito admiradora dessas histórias, e vejo o quanto podemos ser fortes. Às vezes até me pergunto como essas pessoas, que sofreram de todo mal possível, inclusive de gente muito próximas a elas, conseguiam sorrir, passar pra outras pessoas que estavam na mesma situação que, não, elas não eram a maldade que o mundo fez a elas, que elas eram do bem.

Aprenderam a ser fortes através de suas feridas, aprenderam a curar pelos seus testemunhos, e se refizeram das cinzas que haviam restado, se reergueram e conseguiram seguir em frente, extraordinárias. 

18 março 2019

Resenha #112 - Com amor, Simon


O livro "Simon Vs a Agenda Homo Sapiens", ou como ficou popularmente conhecido depois da adaptação para os cinemas, "Com amor, Simon", é um romance LGBT super fofo e descontraído, que além de ser cativante, também traz discussões e questionamentos que nos fazem refletir.
Entendo perfeitamente o que você diz sobre se sentir preso dentro de si mesmo. No meu caso, nem penso que tenha a ver com as outras pessoas acharem que me conhecem. O caso é que eu quero me manifestar e falar e fazer certas coisas, mas sempre me contenho. Acho que grande parte de mim sente medo.
A história, narrada em primeira pessoa, gira em torno do Simon, um adolescente que possui uma vida normal, como outra qualquer. Contudo, ele guarda um segredo de todos. Ele é gay!

Mas infelizmente (ou felizmente), para o Simon, esse segredo ameaça ser revelado, depois que o seu colega de escola, Martin, tem acesso aos e-mails trocados entre ele e o Blue, um garoto que ele conhece através do Tumblr.

A partir daí, a vida do Simon começa a virar uma montanha russa de mudanças e emoções. Com o seu segredo a "um passo" de ser revelado, ele terá que fazer de tudo para que o Martin fique de boca fechada. Afinal, ele não quer perder o contato com o Blue, o garoto que ele não faz a mínima ideia de quem seja na "vida real", mas pelo qual ele parece estar se apaixonando cada vez mais, a cada e-mail trocado.


"Com amor, Simon", foi uma boa surpresa para mim. Uma leitura divertida, fluída e rápida. Com capítulos bem curtinhos e uma trama bem interessante e divertida, mal vemos o passar do tempo e logo chegamos ao final do livro.

A autora me surpreendeu com a forma leve e doce com que nos conduz a acompanhar o florescer do romance entre o Simon e o Blue. A cada e-mail trocado entre eles, nós temos a oportunidade de nos aprofundar mais em mais em suas personalidades, seus pensamentos e seus dilemas. O que faz com que criemos um certo vínculo com ambos.
P.S.: Adoro o jeito como você sorri, sem perceber que está sorrindo. Adoro seu cabelo de quem acabou de acordar. Adoro o jeito como você faz contato visual por mais tempo do que o necessário. E adoro seus olhos cinza-lua. Então, se você acha que não sinto atração por você, Simon, você está maluco.
Como se não bastasse o Simon e o Blue serem personagens super fofos, a Becky Albertalli ainda nos apresenta aos amigos e familiares do Simon, que são personagens pra lá de cativantes e divertidos. Dá vontade de conhecer todos eles na vida real.
— Devo gostar mesmo de você.
Eu me inclino na direção dele e sinto o coração na garganta.
— Quero segurar sua mão — digo, baixinho.
....
— Então segure — diz ele.
E eu seguro.
Outro ponto que gostei nessa história e ao qual gostaria de ressaltar é a forma como a autora escolheu  para abordar a temática do homossexualismo. Ela optou por deixar o enredo se desenvolver do início ao fim de forma mais leve, e aproveitou o personagem do Simon para apresentar uma perspectiva diferente. Por exemplo, nessa história, o Simon não tem problema algum em reconhecer a sua sexualidade, ele já é bem resolvido consigo mesmo nesse aspecto.

O problema em si é outro. E é aí que entra um questionamento interessante... Por que só os gays tem que sair do armário? Por que os héteros não sentem vergonha em se assumir?
É isso que as pessoas não entendem. Essa coisa de sair do armário. Não é nem por eu ser gay...
Mas estou cansado de sair do armário. Tudo que eu faço é sair do armário. Tento não mudar, mas estou sempre vivendo essas pequenas mudanças. Arrumo uma namorada. Tomo cerveja. E todas as vezes, preciso me reapresentar para o universo.
Outra temática que também é abordada no livro, que achei interessante e muito importante de ser retratada na história, é sobre o bullying que muitas pessoas sofrem ao assumir a sua sexualidade.
— E quer saber? Você não é ninguém para vir dizer que não é nada de mais. Isso é grande coisa, sim. Essa história... Era para ser minha. Sou eu quem devia decidir quando, onde, para quem e como queria sair do armário.
Ahh, uma coisa que também quero destacar aqui, que acredito que irão gostar na história, é o mistério sobre quem é o tal de Blue. No meu caso, o mistério não foi tão grande assim, pois eu tinha assistido ao filme antes de ler o livro, mas ainda assim, foi bem divertido acompanhar o Simon tentando desvendar o mistério.


Sobre a capa e diagramação do livro, não tenho muito a dizer. Não encontrei nenhum problema com relação a diagramação, que ao meu ver, é bem simplista, mas possui alguns detalhes que dão um toque a mais ao livro.

Com relação a capa, tanto a nova edição do filme quanto a antiga, não me atraem muito. Mas isso é apenas a minha opinião, é claro, e também não quer dizer que não gostei dela como um todo. Acho que o meu maior problema com essa edição é somente a foto do ator nela. Acredito que se fosse o desenho de um garoto no lugar, ficaria melhor.

Mas enfim... Deixando as minhas divagações a parte. Gostaria de dizer que amei a leitura do livro e super recomendo. A história me encantou muito, principalmente em seus últimos momentos.

FICHA TÉCNICA  

Nota do crítico: ★★★★☆♡
Título: Com amor, Simon
Série: ------
Volume: Único
Gênero: Ficção / Romance
Autor/Organização: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Selo: ------
Páginas: 272
Ano: 2018
Sinopse: Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.

Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.

Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.


14 março 2019

♫ SOLTA O PLAY ►♫ | Morena - Vitor Kley & Bruno Martini


E ele está de volta meu povo... Pela segunda vez, temos o cantor Vitor Kley aqui na nossa série SOLTA O PLAY (série onde indicamos músicas, cantores, etc, que achamos que merecem destaque aqui no blog).

Dessa vez, darei o destaque para a música Morena, lançada em meados de junho de 2018, em parceria com o produtor e DJ brasileiro, Bruno Martini. Para quem conhece os dois, já pode imaginar que essa combinação se tornou um arraso, não é mesmo?

Com uma pegada pop e eletrônica, um ritmo e voz envolvente, confiram a seguir a música, Morena...


E se você ainda não conferiu o primeiro post que fizemos sobre o cantor Vitor Kley aqui no blog, acessem o link a seguir e conheçam a faixa, O Sol, lançamento de 2017 do cantor que bateu mais de 60 milhões de visualizações no Youtube.




13 março 2019

Querido Diário


O dia havia começado pior do que eu esperava. Pra começar quando levantei da cama bati meu dedinho na penteadeira (que dor!). O dia que começa com você batendo seu dedo na penteadeira dificilmente será um bom dia. Dito e feito.

Aconteceram todos os tipos de coisas que passam naqueles filmes de pessoas azaradas. Estava me sentindo realmente em um filme de comédia/drama. O trajeto da minha casa até o trabalho parecia um campo de guerra contra mim. Foi ônibus perdido, tropeços e um quase tombo na frente de dezenas de pessoas no meio da avenida. Café derramado na roupa que era branca (BRANCA), e ainda levei um puxão de orelha da minha chefe por me atrasar .

No fim do dia, depois de uma enorme correria naquele escritório, eu estava cansada pra caramba e sai correndo para não perder o ônibus de novo. E adivinhem só? Perdi igual. Cheguei em casa duas horas mais tarde que de costume. Cansada demais pra cozinhar, pedi um lanche.

Quando a comida chegou desci na recepção do prédio para pegar, paguei e agradeci o moço. Quando olhei para o lado na pracinha em frente ao meu prédio vi uma pessoa ajudando um mendigo, a pessoa levou roupas e comida e pelo que entendi, pelo adesivo no carro dessa moça (de uma casa de recuperação) ela queria dar um lugar melhor para ele morar. Fiquei observando, até o mendigo se levantar e entrar no carro com a moça, pareceu aceitar a proposta dela. Fiquei muito feliz e sorri sozinha, olhando para o céu e agradecendo por tudo que eu tinha.

Uma vozinha bem no fundo do meu coração dizia: "Viu só? Você não é a pessoa mais azarada do mundo não". Por mais que meu dia tivesse sido ruim, eu tinha uma casa para onde voltar, comida boa para comer, podia tomar um bom banho, e essas coisas tão simples tem um valor tão grande. Estou aprendendo a agradecer mais.  E todos os dias ruins que tiver a partir de hoje, irei voltar nesta página e ler novamente. Por hoje é isso.