25 junho 2019

25.6.19 0

Meu lado


me vi no meu olhar, 
me vi e quando me vi, 
mudei de lado, 
troquei o agrado 
e colei do meu lado.

o único lado 
que eu deveria estar 
a vida toda era do meu, 
do meu lado primeiro, 
mas eu nunca estive, 
eu sempre lutei contra mim, 
contra meus contos de fadas, 
meus sonhos ousados. 
eu lutei contra minha essência 
quando ela era tudo 
de mais precioso 
que existia em mim.

talvez seja tarde demais 
para algumas coisas 
que eu perdi pelo caminho, 
mas ainda não é 
e nunca será tarde 
para eu mudar de lado 
e me viver.

ainda dá tempo 
de acreditar em mim.


24 junho 2019

Primeiras impressões: GTO – Great Teacher Onizuka | O professor mais alternativo do universo

O mangá, em publicação pela editora New Pop, aqui no Brasil, atualmente está no seu 11º volume.


Eikichi Onizuka e a decisão de se tornar um "super" professor

Eikichi Onizuka, 22 anos de idade, veio ao Japão em busca de uma vida de sucesso e estabilidade financeira. Todavia, a única coisa que encontra é um emprego medíocre e uma vida triste. Formado na faculdade Eurásia, uma das menos renomadas do país, ele passa seus dias sentado abaixo de uma escadaria espiando as calcinhas das colegiais que passam por ali. Essa tem sido a rotina de Onizuka.

Com seu jeito delinquente, cabelo loiro e brincos, Onizuka não costuma passar uma boa impressão para as pessoas, principalmente quando o assunto é entrevistas de emprego, no qual as pessoas o taxam como “sem qualificação e/ou requisitos necessários”, sem mencionar o comportamento totalmente despojado e inapropriado dele. Ainda assim ele consegue ser carismático e despertar nas pessoas um vestígio de fé, fazendo com que possam acreditar no potencial que ele possui.

Em uma dessas rotinas de Onizuka, enquanto olhava para as calcinhas das estudantes, uma em particular veio a ele e começou a o indagar. A partir daí, para impressionar essa garota, ele começa a apresentar a ela uma pseudo vida. Ele dizia que tinha vários carros luxuosos, muito dinheiro, tudo o que uma garota, do tipo interesseira, poderia querer de um homem de sucesso. Onizuka chegou até a roubar um carro de fato. Quando, enfim, a leva para um karaokê e as coisas começam a parecer darem certo, um homem bem mais velho que Onizuka grita pela menina, do lado de fora do prédio. A garota, tomada por euforia, pula nos braços do senhor que, descobrimos mais tarde, ser um professor. Nesse momento Onizuka decide se tornar um professor.


Os primeiros passos como professor

Após a decisão de se tornar um professor, os objetivos priori de Onizuka estavam focados nos seus últimos acontecimentos, que se relacionava com seu envolvimento com a colegial. Sendo professor, estaria mais próximo de garotas mais novas que ele e não chamaria a atenção por ele ser mais velho e, de quebra, quando estivesse com 40 anos, poderia estar casado com uma jovem de 20. O lado pervertido de Onizuka o impulsionou a esse objetivo.

Após decisão tomada, ele entra para uma espécie de curso, onde era ensinado os primeiros passos básicos para aqueles que queriam se tornar professores. Nesse curso, ele conheceu uma pessoa que tinha basicamente os mesmos interesses que ele, porém um pouco mais a frente do seu tempo. Era um cara que estava na turma a vários anos e nunca havia concluído a capacitação para professor. Esse homem estava ali apenas para pegar colegiais. Ele contou a Onizuka que aquele era o melhor caminho e que ela já havia ficado com mais de quatorze garotas, por isso nunca havia se formado.

O cerne do objetivo dele não era a formatura, mas sim os benefícios de estar ali, rodeado por lindas garotas colegiais. Claro que o nosso querido e pervertido Onizuka se apaixona pela ideia e cogita consigo mesmo que realmente fez a escolha certa. Por algum milagre do destino, ao final do curso, Onizuka deixou de lado seus desejos eróticos e acabou se formando. O primeiro passo para se tornar um professor de fato havia acontecido. Agora, bastava apenas Onizuka fazer uma prova e passar em uma entrevista de emprego (o que era praticamente impossível), mas ele estava obstinado a conquistar seu objetivo.

Nesse meio tempo, altos e baixos aconteceram para Onizuka, chegando até mesmo a desistir de ser um professor (GTO [Great Teacher Onizuka]) e passar a se chamar GDO (Great Driver Onizuka), marcando o período em que ele passou a dirigir um caminhão, fazendo entregas pelas cidades. Mas isso logo acabou quando recebeu uma ligação de uma diretora de um dos colégios particulares mais renomados do país, oferecendo a ele uma proposta de emprego. Claro que existe todo um contexto para essa situação, porém é mais interessante ler e acompanhar de perto.

E assim, Onizuka se torna um professor.


Os primeiros obstáculos e as primeiras conquistas

Após assumir o cargo como professor nessa escola, Onizuka se responsabiliza pela classe que é totalmente mal falada pelos professores e também alunos da escola. Boatos que rondavam os corredores diziam que professores procuraram até o suicídio, justamente por não conseguir suportar essa tal classe. O primeiro desafio de nosso mestre iniciava-se naquele momento.

Os primeiros dias foram difíceis, onde armaram para ele. Um dos alunos que eram perito em manipulação de imagens, pegou uma foto dele e photoshopou com um cenário erótico masoquista. Após criar esta edição, espalhou por toda a escola, sabotando a reputação de Onizuka. Esse foi o primeiro obstáculo que ele enfrentou. Mas com seu jeito malandro e esperto, afinal ele também já esteve sentado em uma daquelas cadeiras, fazendo as mesmas coisas que esses moleques, ele subverteu a situação e, aos poucos, conseguiu chamar a atenção desses “alunos insuportáveis” e criando laços de amizade e confiança.

Enquanto essas coisas vão sendo apresentadas, questões como o bullying também são abordadas na trama. Um desses personagens que sofre com este problema tentou o suicídio duas vezes, sendo que em ambas Onizuka o impediu e o salvou da morte. Esse se torna um dos principais problemas de Onizuka como professor responsável de uma classe.


Sobre os mangás de GTO no brasil e considerações finais

O mangá está sendo distribuído pela editora New Pop que, atualmente, laçou o volume número 11. Os lançamentos acontecem de forma mensal. Os traços, desenhados com uma ênfase absurda em alguns momentos, evidência com mais veemência os sentimentos dos personagens. Considero a obra uma ótima indicação para pessoas que curtem o gênero de comédia.

FICHA TÉCNICA 

Nota do crítico: ★★★★★♡
Título: GTO
Outros títulos: Great Teacher Onizuka
Volume: 11 (em andamento)
Capítulos: -----
Gênero: Shonen, Ação, Comédia, Ecchi, Escolar
Autor/Organização: Tohru Fujisawa
Editora: NewPop
Selo: ------
Páginas: ----
Ano: 16 de Maio de 1997 – 17 de Abril de 2002
Sinopse: A história gira em torno de Eikichi Onizuka, um homem de 22 anos que, no passado, foi um delinquente e líder de uma gangue de motociclistas. Depois de se formar em uma faculdade de quinta-categoria em Estudos Sociais, Onizuka resolve se tornar um professor, mesmo não tendo a mínima aptidão para o cargo. Com muito sacrifício, ele consegue um emprego num colégio e começa a dar aula para uma turma nem um pouco disciplinada. Utilizando métodos pouco convencionais, ele procura colocar seus alunos na linha, tornando-se amigo, compreendendo-os e mostrando a eles que um professor também possui sentimentos. E, claro, aproveitando pra ver as garotas de uniforme escolar e tentar conquistar Azusa Fuyutsuki, uma professora da mesma escola.


23 junho 2019

Crítica - Goblin


Mágico e maravilhoso, são as palavras que eu uso para começar a descrever o que é esse drama. Para descrever a experiência de assistir e imergir nessa história apaixonante que é Goblin.

Também conhecido como Mr. Sunshine, The Lonely, Shining Goblin e Guardian:The Lonely and Great God, o dorama, que aqui chamaremos de Goblin, é uma mistura de romance e fantasia, com toques de humor


Em sua história, somos apresentados a um grande general do passado, que foi traído e morto por seu rei. Mas, como muitos de seu povo rezavam e pediam por sua alma, lhe foi concedido a chance de voltar a vida.

Contudo, como ele era um general que andava de guerra em guerra, e sua espada carregava o sangue de muitas pessoas, ele também recebeu um castigo. Ele ganhou o prêmio de voltar a vida, mas também recebeu o castigo da imortalidade, de ver as pessoas próximas a ele morrerem e nunca, jamais, esquecer nenhuma morte.

Desde então, ele ficou conhecido como o Duende (Gong Yoo), e vaga pelo mundo a procura da noiva do Duende (Kim Go-Eun), a única capaz de ver e retirar a espada que está cravada em seu peito. Quando isso acontecer, ele finalmente voltará as cinzas e poderá descansar em paz.


Esse é o prelúdio que temos da história do passado, para então partir para os dias atuais, cerca de 900 anos depois, onde os caminhos da jovem Ji Eun-tak se cruzam com o do Duende. 

A Ji Eun-tak é uma estudante do ensino médio, que teve uma vida bem difícil desde que nasceu. Pra começar, ela é capaz de ver fantasmas, e por isso as pessoas costumam se afastar dela. Além disso, depois que sua mãe morre, ela acaba indo morar com a sua tia e seus primos, que nunca a trataram bem e só se interessavam pelo dinheiro do seguro de morte da mãe dela.


Depois de ter assistido a todos os episódios do drama, posso dizer que, com certeza, AMO esse casal. Mas no começo, pra mim foi um pouco estranho considerá-los um casal, por causa da diferença de idade deles. Afinal, ele não só é bem mais velho que ela, como também, ela ainda é uma colegial.

Contudo, como o relacionamento deles transcorre de forma leve e os personagens são tão cativantes, acabei deixando um pouco de lado essa primeira impressão e me apaixonado de vez por eles. Pelo seu romance divertido e doce, que aos poucos vai crescendo e se transformando em algo mais forte, capaz de superar as adversidades que aparecem em seu caminho (e olha que são muitas, ein)
A massa não é proporcional ao volume. Uma menina tão pequena quanto uma violeta. Uma menina que se move como uma pétala de flor, está me puxando para ela com mais força do que sua massa. Assim, como a maça de Newton, eu rolei em sua direção sem parar até eu cair sobre ela... com um baque. Com um baque, meu coração continua pulando entre o céu e o chão. Era meu primeiro amor.
Eu adorei conhecer nessa história a Ji Eun-tak, que apesar de tudo o que viveu continua sendo uma menina doce. Sua energia e seu sorriso são refrescantes, e sua sinceridade e pureza são desarmantes.

Foi justamente essa sua personalidade, que fez com que o Duende quisesse protegê-la e, mais tarde, o fez se apaixonar perdidamente, a ponto de mudar o seu desejo de voltar as cinzas.

Quanto ao Duende, acho que não tenho muito a dizer, só que, assim como os personagens masculinos (principais) em todos os doramas, ele é um personagem maravilhoso, daqueles que é fácil se apaixonar e suspirar com suas palavras e ações.
— Sabe o que significa?
— Não
— Isso significa... "Um par feito no céu" em francês. Destino feito fora dos limites do homem.

O outro romance que temos no drama é o da Sunny e o Ceifador. Esses dois são um amor. O relacionamento deles começa meio atrapalhado e cômico, mas com o desenrolar da história e conforme conhecemos mais a fundo o seu passado, vemos o quão profundo e trágico é o amor desses dois.

O Ceifador é alguém que cometeu um grande pecado em sua vida anterior, mas que não se lembra de quem era e nem o que fez. Ele acaba encontrando por acaso a Sunny, e sem saber o porquê, ele chora. Provavelmente por causa disso, ele acaba chamando a atenção dela, que fica intrigada com a sua reação.

Apesar de bem diferentes um do outro, eles formam um casal muito fofo. Ele todo sem jeito, mas todo encantado por ela. E ela com seu jeito desinibido e direta, que parece se derreter por esse cara estranho e intrigante que ela acaba de conhecer.


Além dos dois romances que desenrolam durante a trama, tem mais um relacionamento que adorei ver, e dessa vez não é romântico, e sim de amizade.

Apesar da imagem anterior mostrar esse trio que é super divertido, eu me refiro a amizade apenas do Duende e o Ceifador. Aquele tipo de relacionamento que começa cheio de discussões e provocações, mas que no fim se mostra uma amizade verdeira, que no fundo eles se importam um com o outro.

Além disso, gostei dos personagens secundários, que apesar de não terem um papel de destaque na história, ainda assim não ficaram esquecidos. Todos tinham as suas próprias histórias e o seu papel no desenrolar da trama.


Acho que já falei bastante sobre a história e os seus personagens. Mas se ainda não consegui te convencer a assistir o dorama, então aqui vão mais motivos...

A trama é bem interessante, cheia de reviravoltas que te surpreendem (não necessariamente, te deixam contente). Com um romance doce e divertido, que vai te conquistando aos poucos, e quando menos se imagina, você está completamente apaixonado por eles. E um drama que vai te arrancar muitas lágrimas (eu chorei bastante).

A trilha sonora também é um dos pontos altos no drama, pois, além das músicas serem bonitas e gostosas de se ouvir, elas dão um toque encantador e sutil as cenas. A combinação das história com a trilha sonora, dá um ar mágico e delicado as cenas, que nos faz sonhar, nos emocionar e nos apaixonar.

Outro ponto que vale dar ênfase é a fotografia e cinematografia do dorama. Aqui não estou falando somente dos cenários e paisagens que nos fazem suspirar de tão belas, mas também algumas composições de quadros, que apesar de simples, parecem conter um toque que as tornam especiais. E também os movimentos de câmera que dão uma incrementada as cenas e as sensações que elas transmitem. 

Ahh, e eu não poderia deixar de citar também as cenas de época que temos na história. Como disse anteriormente, a história se inicia há uns 900 anos atrás, portanto, para conhecer o passado dos personagens, algumas vezes acabamos voltando no tempo, para a era Goryeo. Sobre isso, posso não ter muita bagagem para julgar, pois não assisti muitos doramas de época, mas sinto que a produção dessas cenas não perde em nada para outras do gênero.
FICHA TÉCNICA   

Nota do crítico: ★★★★★
Título original: 쓸쓸 하고 찬란 하 神 - 도깨비
Origem: Coreia do Sul
Gênero: Fantasia / Romance
Temporadas: 1
Episódios: 16
Duração: cerca de 1h
Trailer: Clique Aqui
Direção: Lee Eung-Bok
Ano: 2016
Sinopse: Kim Shin (Gong Yoo) é um goblin imortal e protetor de almas. Ele é o senhorio do ceifador (Lee Dong-wook), que é o responsável por conduzir as almas de pessoas falecidas. Shin não quer mais a imortalidade, mas precisa de uma noiva humana para acabar com sua longa vida. Ele acaba tendo sua vida cruzada com Ji Eun-tak (Kim Go-eun), uma estudante do ensino médio, que possui a habilidade especial de ver fantasmas e está destinada a ser sua noiva e devolvê-lo a cinzas. Enquanto isso, Sunny (Yoo In-na) é a atraente dona de um restaurante de frango que emprega Eun-tak. A vida dessas quatro pessoas muda, quando se encontram e suas vidas se tornam entrelaçadas.


22 junho 2019

22.6.19 2

Crítica - Cinderela Pop


Hoje, num formato um pouco atípico, Jota e eu (Welerson Silva) viemos dar nosso veredito sobre o filme que recentemente entrou para o catálogo da Netflix: Cinderela Pop. 

O filme conta com a presença de muitos atores conhecidos na mídia, uma deles é a atriz Maísa Silva e o galã Filipe Bragança, que encantou com sua voz doce, copiando o querido Well. 

Neste filme, Maísa interpreta a personagem Cíntia Dorella, uma garota de 16 anos que sonha em encontrar o amor perfeito, mas que acaba frustrando esse sonho após ver seu pai traindo sua mãe em uma festa. Após este dia fatídico, Cíntia decide se tornar DJ e conseguir uma bolsa para estudar música em Londres, mas há um porém: seu pai abomina essa ideia. 

Portanto, nossa Cinderela apaixonada por música precisa tocar escondido e é numa dessas vezes que ela se encontra com o crush de tirar o fôlego, Fredy Prince (Filipe Bragança). Esse encontro não foi lá muito agradável, pois Cíntia não curti as músicas “melosas” de Fredy, mas algo aconteceu ali, algo que mudará o pensamento que ela tem sobre o amor. 


No lugar do sapatinho de cristal temos um all star estilizado, porque claro, a nossa Cinderela é “pop” e com esse sapatinho é que o príncipe vai procurar sua princesa moderninha. Como um clássico que se preze também temos a madrasta má e as “irmãs” chatinhas e irritantes da Cinderela pra dar mais um toque de humor ao longa. Mas quem realmente brilhou no quesito humor foi a tia Helena (Elisa Pinheiro), a fada madrinha mais original que você já viu, com seu jeito peculiar, ela arranca muitas risadas. 

Apesar de esbanjar fofura, o longa não conta com muitos personagens cativantes, além de tia Helena e Cíntia, nem mesmo Fredy Prince fica bem amarrado a trama e tirando um time de garotas que põe a sororidade pra dar um show, não vemos personalidades muito marcantes.

Ainda assim, o filme dispõe de uma boa produção, dando destaque aqui ao visual, que em muitas das cenas, tiveram ótimas capturas de tomadas. Como mencionado, não é um filme de tirar o fôlego, mas ainda assim se mantém como um filme interessante, já que possui um bom enredo e atores bem conhecidos, o que dá aquela noção de proximidade ao telespectador.

21 junho 2019

Primeiras impressões | 3-gatsu no Lion - Rompendo com a barreira do introspectivo


3-gatsu no Lion iniciou-se em 2016 e teve seu fim no ano de 2018. A obra possui 44 episódios em seu total, e aborda sobre a vida de um garoto chamado Rei Kiriyama. Após perder a família em um acidente, ele passa a ser dependente de si mesmo e optar por um estilo de vida solo. Rei, futuramente, é adotado por um magnata que ensina a ele a arte do shogi, uma espécia de xadrez japonês. Mais tarde, Rei se tornaria jogador profissional e um dos melhores de sua idade. Após esses fatos, Rei "ganha" uma nova família, a qual aprende com ela dia-a-dia a melhor seu eu interior e exterior.

O refúgio encontrado no Shogi

Quando Rei perdeu sua família biológica, foi adotado e aprendeu a jogar. Aquilo tornou-se sua distração. Seu "novo pai", que o ensinou todas as técnicas, viu que ele possuía um talento nato para aquilo e investiu nele. O homem tinha uma filha, que também jogava shogi, mas nunca conseguiu superar Rei. Isso despertou na garota um senso de rivalidade e ódio, ao mesmo tempo em que ela e Rei cresciam. Quando mais velho, Rei tornou-se profissional e passou a viver do shogi. Neste momento da vida de Rei, foi quando ele começou a viver sozinho e ruminar memórias de seu passado.

O âmago da solidão de Rei

"Mente vazia é oficina do Diabo!" Para os que já ouviram alguma vez na vida este termo, sabe que nada de bom se produz quando se está no ócio. Para Rei, memórias nefastas o bombardeavam dia após dia. Ele sentia-se culpado pela morte de sua família e não havia ninguém ao seu lado com quem ele pudesse contar ou mesmo se abrir. Quando estava imerso no shogi, era o momento em que colocava todos os seus sentimentos, quando podia desviar sua atenção. Sendo um garoto totalmente fechado e não pertencente a nenhuma bolha social, Rei encontrou refúgio em uma família humilde que abriu os braços para compreendê-lo e aceitá-lo como membro.

Uma nova família, um novo recomeço

A entrada de Rei neste novo ambiente familiar foi o estopim para a guinada em sua vida, visando tanto o individual como o coletivo. Ele pôde, mais uma vez, sentir-se amado e que fazia parte de alguma coisa novamente. O cuidado que essa nova família tinha com ele e a preocupação, despertou em Rei a sensação do amor e do real significado de família.

Com esta lição imprescindível, que facilmente pode e deve ser aplicada na vida real, finalizamos este texto. Na vida, o mais importante é ter com quem contarmos e, acima de tudo, ter pessoas que acreditem veementemente em nosso potencial.

FICHA TÉCNICA

Nota do crítico: ★★★★★♡
Título: 3-gatsu no Lion
Outros títulos: March Comes in like a Lion
Episódios: 44
Gênero: Coming-of-age, comédia, romântica
Autor/Organização: Yukito Kizawa
Estúdio: Eixo
Selo: ------
Ano: 08 de Out/2016 – 31 de Março/2018
Sinopse: Rei é um jogador de shōgi profissional de 17 anos que mora sozinho. Seus pais e irmã mais nova morreram em um acidente, ele é afastado de sua família adotiva e quase não tem amigos. Entre seus conhecidos, há uma família que consiste de uma jovem - Akari Kawamoto - e suas irmãs mais novas - Hinata e Momo - que também mantêm vários gatos . Conforme a história avança, Rei lida com seu amadurecimento como jogador e como pessoa, enquanto desenvolve suas relações com os outros, especialmente com as irmãs Kawamoto.