18 abril 2019

Crítica - Seven Days: Friday → Sunday


Seven Days: Friday → Sunday é a segunda e última parte da história do Seryou e Yuzuru, portanto, caso não tenha lido a primeira parte, aconselho que acessem primeiro o link abaixo para conferir.


No final do primeiro filme, terminamos com a cena do Seryou recebendo uma ligação da Shino, o que fez com que ele e o Yuzuru tivessem uma discussão. Esse é justamente o ponto de partida para o segundo filme.


Se na parte 1 da história o foco era eles se conhecendo e os seus sentimentos aflorando, nessa segunda parte vemos o sentimento de angustia tomando os personagens. Eles já sabem, ou estão percebendo, que sentem algo a mais pelo outro, mas o problema é que aquele relacionamento tem prazo de validade.

Bem, na verdade, ninguém estabeleceu explicitamente que o namoro só deveria durar uma semana, contudo, ainda assim, os últimos dias que restam dessa semana começam a pesar. Se por um lado o Seryou não sabe o que fazer, como falar para o Yuzuru que ele não quer que o relacionamento deles dure apenas um semana, por outro lado, o Yuzuro está finalmente caindo em si e percebendo que os seus sentimentos pelo Seryou são mais profundos do que pensava. Ele está com medo de que, quando chegar o final da semana, tudo acabe.
Koike-chan disse...
— Uma semana... é o bastante para um sonho, certo? Seryou definitivamente não te dará segundo round, após tudo.
Mas para mim, está semana é... Sete dias são suficientes para que eu me apaixone.

Eu sei... o enredo dessa história não é muito complexo, portanto, é fácil prever o que acontece no final. Mas mesmo assim, me senti aflita junto com os personagens. O Yuzuro por acreditar que o Seryou vai dispensá-lo porque ele ama a Shino. E o Seryou... bem, por sua personalidade retraída, que por muitas vezes me fez acreditar que ele não teria coragem de colocar para fora os seus pensamentos e sentimentos verdadeiros. 


Acredito que nem todos possam concordar comigo sobre essa história, mas eu realmente gostei de assistir Seven Days. Acho que me encantei pela leveza da história e por ela não tratar o romance entre dois homens como algo problemático. Esse deve ter sido um dos pontos que mais me atraíram na trama, pois ela foge da premissa de grande parte desse tipo romance.

Outro ponto que gostaria de ressaltar aqui é que gostei do ator que interpreta o Yuzuro, o Yamada James Takeshi. O achei expressivo, se é que posso usar essa palavra para descrevê-lo. De todo modo, ele foi o que mais me chamou a atenção e me transmitiu melhor os sentimentos do personagem.



Com relação ao desfecho, não irei contar é claro, apesar que vocês podem facilmente deduzir. Só o que irei dizer é que foi um final feliz, nada muito profundo e tocante, mas ainda assim foi gostoso de assistir.
O que eu queria muito dizer, mas não consegui dizer... Eu te amo.
A propósito, achei interessante que eles voltaram para o cenário do primeiro beijo dos dois. Não sei se foi proposital, se queriam dar um significado maior ao local e ao momento... de qualquer forma, achei interessante.

FICHA TÉCNICA   

Nota do crítico: ★★★★☆♡
Título original: セブンデイズ FRIDAY → SUNDAY
Origem: Japão
Gênero: Drama / Romance / Yaoi
Duração: 1h 22 min.
Trailer: Clique Aqui
Direção: Kenji Yokoi
Ano: 2015
Sinopse: Yuzuru perguntou a Touji como uma piada, que não esperava ser levada a sério. Touji aceitou, e Yuzuru sabia que ele era como o resto, relacionamento começado na segunda-feira, e abandonado no domingo. O que ele não esperava eram os sentimentos que foram além da amizade que surgiram. Agora é sexta-feira e o fim está se aproximando. Mas é isso? E quanto a Touji? Sexta começa o fim, mas domingo revela tudo. Baseado no mangá com o mesmo nome de Tachibana Venio!


17 abril 2019

Playlist - Eric Nam


Nam Yoon-Do, mais conhecido pelo seu nome artístico Eric Nam, é cantor americano, de descendência sul coreana, e apresentador na Coreia do Sul. 

Graças a um de seus cover's no Youtube ter viralizado, ele foi convidado pela MBC (emissora coreana de televisão) a ir para Seul para competir no programa Birth Of A Great Star 2 em 2012. Alguns meses depois ele assinou com a B2M Entertainment como artista solo, e mais tarde, no começo de 2013, estava debutando, iniciando assim a sua carreira, que hoje podemos dizer que está consolidada como um grande sucesso.

Agora que já conhecemos um pouco sobre o cantor, vamos ao que interessa, conhecer as suas músicas...

Obs: Hold Me é a música dele que mais gosto. Arrisco em dizer que, entre as suas músicas, é a minha preferida.

MISS YOU


HOLD ME


THIS IS NOT A LOVE SONG


LOSE YOU



HONESTLY


POSION


GOOD FOR YOU


HEAVEN'S DOOR


I'M OK


BEFORE THE SUNSET





15 abril 2019

Resenha #115 - Diário de um Banana: Bons Tempos


Surpreendentemente, Diário de um Banana: Bons Tempos, foi uma leitura para lá de prazerosa. Um livro curto e engraçado, que me rendeu ótimos momentos durante toda a leitura, e ainda por cima, me deixou com vontade de correr atrás dos outros volumes da série.
Aposto que nossos ancestrais ficariam decepcionados com o que nos tornamos. Mas, depois que inventaram o ar-condicionado, não tem mais volta.

É com um bom toque de humor que acompanhamos uma parte da vida do Gregory e de sua família, composta pelo Rodrick (irmão mais velho), Manny (irmão mais novo), seu avô (que acaba de se mudar para sua casa), seu pai e sua mãe, e o porco (animal de estimação da família que anda sobre duas patas e usa calça).

Narrado em primeira pessoa e sob a temática "bons tempos", somos conduzidos a algumas situações da vida do Gregory onde vemos ele se deparar com o famoso clichê, bastante usado pelos mais velhos, de que na época da juventude deles é que eram bons tempos, que as crianças de hoje estão presas a tecnologia... e etc. Tenho certeza que já ouviram algo do tipo, não é mesmo? Ou até mesmo vocês já tenha dito algo nesse sentido.

Com base nessa premissa, ele é levado a fazer coisas e experimentar passar pelas mesmas experiências pela qual os mais velhos já vivenciaram. E é aí que nos divertimos, ao acompanhar as diversas enrascadas em que ele se mete.


Para quem não sabe, Diário de um Banana, é uma série de livros do autor Jeff Kinney, com diversos livros já publicados.

Apesar de ser uma série bem conhecida, esse é o meu primeiro contato com os livros, pois, anteriormente, havia assistido ao filme e não gostei do que vi, e só agora decidi dar uma chance para os livros. O que me leva a dizer... "Não julgue o livro pelo filme" kkk.

Bem... mesmo que esse seja o 10º volume, acho importante dizer também que não me senti perdida durante a leitura, pois os personagens iam sendo apresentados no decorrer da narrativa. O que me deixou com a impressão de que os livros possam ser lidos fora de ordem. Contudo, não darei certeza sobre isso para vocês, afinal, ainda não li os demais volumes.
Antigamente, as pessoas eram bem mais DURONAS do que hoje em dia.
Mas os seres humanos EVOLUÍRAM, e agora precisamos de coisas como escovas de dentes elétricas, shoppings e sorvete de casquinha para sobreviver.
Além disso, também gostaria de deixar aqui mais alguns pontos que gostei no livro. O primeiro deles é o fato da obra conter diversas ilustrações em suas páginas, que complementam e divertem ainda mais durante a leitura.

O segundo ponto é a relação do Gregory e dos membros da família, entre si. Acho bacana ver a forma como eles apoiam e cuidam uns dos outros. E por último, devo dizer que adorei a temática desse volume, me identifiquei em algumas partes com o Gregory e em partes com os membros mais velhos (pelo menos no que diz respeito a frase "bons e velhos tempos").


Com relação a diagramação e a capa do livro, não tenho do que reclamar, essa edição é em capa dura e com folhas amareladas. E além disso, e das inúmeras ilustrações no decorrer da obra, ainda tiveram o cuidado de colocar linhas nas páginas e de escolher uma fonte mais cursiva, dando a sensação de que realmente estava folheando o diário do Gregory, o que, particularmente, achei excelente. Um charme a mais ao livro!

Por isso, e por todos os demais tópicos que elenquei nessa resenha, digo que recomendo que deem uma chance a série Diário de um Banana. Essa é uma boa pedida para uma leitura divertida e rápida, para quem quer descontrair.
FICHA TÉCNICA  

Nota do crítico: ★★★★☆♡
Título: Diário de um Banana - Bons Tempos
Série: Diário de um Banana
Volume: #10
Gênero: Infantojuvenil
Autor/Organização: Jeff Kinney
Editora: V&R
Selo: ------
Páginas: 224
Ano: 2016 (3ª edição)
Sinopse: A vida era melhor antigamente. Bem, pelo menos é o que dizem.
Mas Greg Heffley, um garoto bastante acostumado ao conforto do mundo moderno, não concorda muito com isso.
E uma decisão polêmica vai colocar o seu paraíso tecnológico em curto-circuito: todos em sua cidade resolvem dar um tempo dos aparelhos eletrônicos.
Dentro e fora de casa, Greg terá que enfrentar o dia a dia à moda antiga. Será que ele vai conseguir sobreviver do mesmo jeitinho que se fazia nos “bons e velhos tempos”?


11 abril 2019

Crítica - Seven Days: Monday → Thursday


Seven Days: Monday → Thursday é um BL (Boys Love). Ele não possui uma trama complexa, nem um drama muito profundo, mas ainda assim, foi uma experiência muito gostosa assisti-lo. É um daqueles filmes com uma história suave, que te faz sentir bem ao assistir. Uma boa opção para quem procura algo leve, para descontrair.

Seu enredo é focado no Shino Yuzuru (Yamada James Takeshi) e no Touji Seryou (Hirose Tomoki), dois dos garotos mais populares da escola. O Yuzuru, que está no 3º ano, é "famoso" por seus términos de relacionamento. Geralmente as garotas se apaixonam por ele pela sua aparência, mas quando o conhecem e percebem que ele não é como imaginavam, elas terminam com ele.
Apaixonar-se. Você nunca sabe quando isto pode acontecer contigo.

O Seryou é mais novo, está no 1º ano, mas também faz bastante sucesso com as garotas. Ele possui uma fama bem peculiar, a de namorar com a primeira pessoa que se declara para ele na segunda-feira e continuar com essa pessoa por uma semana. Depois de uma semana ele geralmente termina o relacionamento, pois a pessoa não despertou algo a mais nele. Mesmo sabendo disso, muitas garotas desejam se declarar para ele, pois alegam que, mesmo que o tempo juntos seja curto, vale a pena.


Ao ouvir essa história sobre o Seryou, o Yuzuru fica intrigado. E quando eles se esbarram na frente do colégio e conversam por um tempo, o Yuzuru se pega curioso em saber como o Seryou reagiria caso ele o convidasse para sair, já que, pelo que dizem, ele sai com a primeira pessoa que se declara para ele, independente de quem for.

Então, sem nem mesmo perceber, no calor do momento, o Yuzuru convida o Seryou para sair. E é aí que damos início a história dos dois. Durante uma semana acompanharemos o desenrolar desse relacionamento e descobriremos qual será o seu desfecho. Ou melhor, acompanharemos o relacionamento entre a segunda-feira e quinta-feira, que é o tempo em que se passa a primeira parte dessa história.

Sim, você leu certo. Essa história é dividida em dois filmes de cerca de 1 hora, sendo o primeiro de segunda-feira à quinta-feira, e o segundo filme de sexta-feira à domingo.


Nessa primeira parte do filme, o ponto principal da história são os dois personagens interagindo e se conhecendo aos poucos.

Com relação a esse ponto, apesar de o enredo transcorrer em poucos dias, gostei de como deu a sensação de havia passado bastante tempo. Sabe aquela sensação gostosa que é descobrir o outro, se surpreender quando a pessoa não era o que parecia mas ainda assim você gosta? Pois bem, é assim que se desenvolve a relação deles.

A história transcorre de forma tranquila, com alguns quadros estáticos e demorados, era como se o tempo não fosse importante, o importante era aquele momento, era contar a história, sem pressa, com calma e tranquilidade.

Conforme eles vão interagindo, se divertindo com a companhia um do outro e se apaixonando, o prazo (imposto involuntariamente) de uma semana vai pesando. Algo que era só curiosidade se torna mais profundo.
Se houvesse apenas uma pessoa que me amasse tudo que sou, isso seria suficiente, eu acho.
Essa última parte da crítica, estou em dúvida se seria considerado um spoiler ou não, mas como era algo que queria muito colocar nesse post, pois são algumas das partes que mais gosto do filme, decidi que iria, sim, acrescentá-las aqui (apenas alguns comentários aleatórios). Portanto, aqui está o aviso de spoiler... 

AVISO DE SPOILER


Não que seja um grande spoiler, mas como podem ver na foto acima, lá pelo final do filme temos o primeiro beijo do casal. Eu só gostaria de comentar que adorei a composição dessa cena. Não só o cenário onde os personagens estão é bonito, como também a cena foi suave e delicada.

Outra parte do filme que adoro, é quando o Seryou finalmente decide cortar relação com a sua antiga paixão, a Shino (Sim, ironicamente, a paixão anterior do Seryou, e a atual, tem o mesmo nome).
— Eu te amo, Touji.
— Sim. Eu te amo também. Mas... Eu não vou mais atender as suas ligações. Assim como você sempre coloca meu irmão em primeiro lugar, eu encontrei alguém assim também. Ainda mais que você, Shino. Uma pessoa que eu amo demais.

FICHA TÉCNICA   

Nota do crítico: ★★★★☆♡
Título original: セブンデイズ MONDAY → THURSDAY
Origem: Japão
Gênero: Drama / Romance / Yaoi
Duração: 1h 6 min.
Trailer: Clique Aqui
Direção: Kenji Yokoi
Ano: 2015
Sinopse: Baseado no manga de mesmo nome; Conta a historia de Shino Yuzuru, um aluno do 3º ano colegial, e de Touji Seryou, aluno do 1º ano colegial. Os dois são belos rapazes e populares entre as garotas. Porém Seryou tem o estranho hábito de sempre sair com a primeira pessoa que confessa-se a ele, seja mulher ou homem, mas só fica com ela pelo período de uma semana, sendo o namorado perfeito (fiel, amoroso...), e terminando o relacionamento quando esse tempo acaba. Em uma segunda feira aparentemente normal, Shino encontra Seryou em frente ao portão da escola, e, sabendo do estranho hábito do outro, sente-se curioso e "confessa-se" para ele querendo ver sua reação. O que será que acontece quando Seryou aceita a confissão? Será que nascerá uma amor entre os dois?


10 abril 2019

PLAYLIST DA SEMANA | Aleatórios


Geralmente quando estou enjoada de tanto ouvir uma música, cantor ou banda, resolvo simplesmente mudar de ares e ouvir músicas aleatórias. Escolho uma música da qual eu gosto e deixo ir tocando aleatoriamente. Isso é interessante, pois eu acabo me deparando com músicas e cantores que nunca ouvi.

Pensando nisso, resolvi trazer hoje essa playlist para que possam conhecer novos cantores e músicas.

Vamos a playlist...

BETTER OFF - JEREMY ZUCKER, CHELSEA CUTLER



RUNAWAY - SASHA SLOAN


HATE U LOVE U - OLIVIA O'BRIAN


THE STORY NERVER ENDS - LAUV


THE SHORTCHANGE - THOMSTON


BLACK MAGIC - JAYMES YOUNG


LETDOWN - CARTER