18 março 2019

Resenha #112 - Com amor, Simon


O livro "Simon Vs a Agenda Homo Sapiens", ou como ficou popularmente conhecido depois da adaptação para os cinemas, "Com amor, Simon", é um romance LGBT super fofo e descontraído, que além de ser cativante, também traz discussões e questionamentos que nos fazem refletir.
Entendo perfeitamente o que você diz sobre se sentir preso dentro de si mesmo. No meu caso, nem penso que tenha a ver com as outras pessoas acharem que me conhecem. O caso é que eu quero me manifestar e falar e fazer certas coisas, mas sempre me contenho. Acho que grande parte de mim sente medo.
A história, narrada em primeira pessoa, gira em torno do Simon, um adolescente que possui uma vida normal, como outra qualquer. Contudo, ele guarda um segredo de todos. Ele é gay!

Mas infelizmente (ou felizmente), para o Simon, esse segredo ameaça ser revelado, depois que o seu colega de escola, Martin, tem acesso aos e-mails trocados entre ele e o Blue, um garoto que ele conhece através do Tumblr.

A partir daí, a vida do Simon começa a virar uma montanha russa de mudanças e emoções. Com o seu segredo a "um passo" de ser revelado, ele terá que fazer de tudo para que o Martin fique de boca fechada. Afinal, ele não quer perder o contato com o Blue, o garoto que ele não faz a mínima ideia de quem seja na "vida real", mas pelo qual ele parece estar se apaixonando cada vez mais, a cada e-mail trocado.


"Com amor, Simon", foi uma boa surpresa para mim. Uma leitura divertida, fluída e rápida. Com capítulos bem curtinhos e uma trama bem interessante e divertida, mal vemos o passar do tempo e logo chegamos ao final do livro.

A autora me surpreendeu com a forma leve e doce com que nos conduz a acompanhar o florescer do romance entre o Simon e o Blue. A cada e-mail trocado entre eles, nós temos a oportunidade de nos aprofundar mais em mais em suas personalidades, seus pensamentos e seus dilemas. O que faz com que criemos um certo vínculo com ambos.
P.S.: Adoro o jeito como você sorri, sem perceber que está sorrindo. Adoro seu cabelo de quem acabou de acordar. Adoro o jeito como você faz contato visual por mais tempo do que o necessário. E adoro seus olhos cinza-lua. Então, se você acha que não sinto atração por você, Simon, você está maluco.
Como se não bastasse o Simon e o Blue serem personagens super fofos, a Becky Albertalli ainda nos apresenta aos amigos e familiares do Simon, que são personagens pra lá de cativantes e divertidos. Dá vontade de conhecer todos eles na vida real.
— Devo gostar mesmo de você.
Eu me inclino na direção dele e sinto o coração na garganta.
— Quero segurar sua mão — digo, baixinho.
....
— Então segure — diz ele.
E eu seguro.
Outro ponto que gostei nessa história e ao qual gostaria de ressaltar é a forma como a autora escolheu  para abordar a temática do homossexualismo. Ela optou por deixar o enredo se desenvolver do início ao fim de forma mais leve, e aproveitou o personagem do Simon para apresentar uma perspectiva diferente. Por exemplo, nessa história, o Simon não tem problema algum em reconhecer a sua sexualidade, ele já é bem resolvido consigo mesmo nesse aspecto.

O problema em si é outro. E é aí que entra um questionamento interessante... Por que só os gays tem que sair do armário? Por que os héteros não sentem vergonha em se assumir?
É isso que as pessoas não entendem. Essa coisa de sair do armário. Não é nem por eu ser gay...
Mas estou cansado de sair do armário. Tudo que eu faço é sair do armário. Tento não mudar, mas estou sempre vivendo essas pequenas mudanças. Arrumo uma namorada. Tomo cerveja. E todas as vezes, preciso me reapresentar para o universo.
Outra temática que também é abordada no livro, que achei interessante e muito importante de ser retratada na história, é sobre o bullying que muitas pessoas sofrem ao assumir a sua sexualidade.
— E quer saber? Você não é ninguém para vir dizer que não é nada de mais. Isso é grande coisa, sim. Essa história... Era para ser minha. Sou eu quem devia decidir quando, onde, para quem e como queria sair do armário.
Ahh, uma coisa que também quero destacar aqui, que acredito que irão gostar na história, é o mistério sobre quem é o tal de Blue. No meu caso, o mistério não foi tão grande assim, pois eu tinha assistido ao filme antes de ler o livro, mas ainda assim, foi bem divertido acompanhar o Simon tentando desvendar o mistério.


Sobre a capa e diagramação do livro, não tenho muito a dizer. Não encontrei nenhum problema com relação a diagramação, que ao meu ver, é bem simplista, mas possui alguns detalhes que dão um toque a mais ao livro.

Com relação a capa, tanto a nova edição do filme quanto a antiga, não me atraem muito. Mas isso é apenas a minha opinião, é claro, e também não quer dizer que não gostei dela como um todo. Acho que o meu maior problema com essa edição é somente a foto do ator nela. Acredito que se fosse o desenho de um garoto no lugar, ficaria melhor.

Mas enfim... Deixando as minhas divagações a parte. Gostaria de dizer que amei a leitura do livro e super recomendo. A história me encantou muito, principalmente em seus últimos momentos.

FICHA TÉCNICA  

Nota do crítico: ★★★★☆♡
Título: Com amor, Simon
Série: ------
Volume: Único
Gênero: Ficção / Romance
Autor/Organização: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Selo: ------
Páginas: 272
Ano: 2018
Sinopse: Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.

Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.

Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.


4 comentários:

  1. Não sei o motivo de ainda não ter visto esse filme. Parece fofo e necessário.
    O livro parece ter uma leitura bem levinha.

    https://naoseavexe.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulina
      Eu te entendo, as vezes enrolamos para assistir ou ler algo, sem ao menos entender bem o porquê.
      A história é bem levinha, sim, e muito gostosa. Espero que um dia consiga conhecê-la.
      Beijos!!

      Excluir
  2. Eu vi o filme e achei uma fofura esse filme! Queria ter lido o livro antes, porque agora o mistério acaba todo né, mas ainda assim deve ser interessante ler o livro, porque no filme eles não destacam muito esse amigo dele, talvez no livro dê mais "pistas" pra gente saber quem é.
    Beijos!

    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thami
      Assim como você, eu acabei tendo contato primeiro com o filme, que adorei. E só mais tarde é que resolvi ler o livro.
      Realmente, o quesito do mistério de quem é o Blue não tem mais, já que descobrimos isso no filme. Mas mesmo sabendo disso, o livro conseguiu me conquistar. Até porque, ele trás alguns elementos que não temos no filme, como a relação entre o Simon e o Blue, que eu senti mais forte no livro.
      Beijos!!

      Excluir

Espero que tenha gostado do post de hoje. Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post, e se devo trazer mais deste conteúdo para o blog.

Ahh, e aproveite e deixe seu link, para que nós do AB possamos retribuir sua visita!