19 dezembro 2018

Uma dose de gratidão a mais, por favor!


Não era um dia de muita sorte para Jamie. Ela já havia começado o dia derramando café no seu uniforme de trabalho, estacionado em vaga de idosos e tomado uma bela multa,  e de quebra, ainda à noite, indo pro barzinho com sua irmã, pisou com seu All Star BRANCO em uma enorme poça de água na rua.

Quando sentaram à mesa e fizeram seus pedidos, enquanto esperavam o lanche, Jamie observava o outro lado da avenida. Era uma das mais movimentadas da cidade, próxima a um viaduto. O pôr-do-sol era lindo de onde elas estavam na janela do barzinho. Mas em meio aquele entardecer e todo a correria da avenida, havia um morador de rua, perto do viaduto, parecia com frio e cansado. 

Jamie se levantou, pegou seu lanche e foi até o homem. Aparentava ter entre 40 e 50 anos,  seu olhar estava triste, mas ao ver o ato de generosidade da moça para com ele, os seus olhos se encheram de lágrimas. Para quem era invisível , alguém ter notado sua presença era importante demais. 

Jamie foi até sua casa, pegou uma coberta e algumas meias e levou até o homem que ficou conversando com sua irmã. Era pouco o que ela tinha a oferecer a ele. Mas a gratidão era visível no abraço daquele morador de rua que pela primeira vez em tempos se sentiu amado.

Ao voltar pra casa Jamie nem lembrava mais da sua má sorte, porque a gratidão por ter tudo o que tinha era maior


Um comentário:

  1. Olá Gabi!!!
    Que texto maravilhoso, mas acho que é do ser humano a gente reclama de mãos cheias e só quando vemos alguém que passa por uma situação às vezes pior é que vemos que estamos reclamando da sorte que temos.
    Adorei o texto.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Espero que tenha gostado do post de hoje. Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post, e se devo trazer mais deste conteúdo para o blog.

Ahh, e aproveite e deixe seu link, para que nós do AB possamos retribuir sua visita!