Resenha #54 - Alucinadamente Feliz

Por Milena Camila - 27 dezembro


Classificação:
★★★★★
Título: Alucinadamente feliz
Volume Único
Gênero: Não Ficção
Autor: Jenny Lawson
Editora: Intrinseca
Páginas: 352
Ano: 2016

Sinopse:

Jenny Lawson está longe de ser uma pessoa comum. Ela mesma se considera colecionadora de transtornos mentais, já que é uma depressiva altamente funcional com transtorno de ansiedade grave, depressão clínica moderada, distúrbio de automutilação brando, transtorno de personalidade esquiva e um ocasional transtorno de despersonalização, além de tricotilomania (que é a compulsão de arrancar os cabelos). Por essa perspectiva, sua vida pode parecer um fardo insustentável. Mas não é.

Após receber a notícia da morte prematura de mais um amigo, Jenny decide não se deixar levar pela depressão e revidar com intensidade, lutando para ser alucinadamente feliz. Mesmo ciente de que às vezes pode acabar uma semana inteira sem energia para levantar da cama, ela resolve que criará para si o maior número possível de experiências hilárias e ridículas a fim de encontrar o caminho de volta à sanidade.


É por meio das situações mais inusitadas que a autora consegue encarar seus transtornos de forma direta e franca, levando o leitor a refletir sobre como a sociedade lida com os distúrbios mentais e aqueles que sofrem deles, sem nunca perder o senso de humor. Jenny parte do princípio de que ninguém deveria ter vergonha de assumir uma crise de ansiedade, ninguém deveria menosprezar o sofrimento alheio por ele ser psicológico, e não físico. Ao contrário, é justamente por abraçar esse lado mais sombrio da vida que se torna possível experimentar, com igual intensidade, não só a dor, mas a alegria.


Resenha:
 "[…] não pode crescer sem reconhecer que todos somos feitos da esquisitice que tentamos esconder do resto do mundo"
Primeiramente venho me desculpar por não ter postado no dia combinado, por conta das festas as coisas aqui em casa ficaram extremamente corridas e bagunçadas. Agora trouxe para vocês um dos meus livros favoritos, "Alucinadamente Feliz: um livro engraçado sobre coisas horríveis", a autora trabalha com um senso de humor sem igual e nos mostra o melhor lado da vida, mesmo quando de certa forma ela mesma não é capaz de enxergar isso. 

O livro é de certa forma uma espécie de auto-biografia, para ser mais exata é um livro de memórias, nos deparamos com a rotina completamente maluca de uma escritora famosa com uma série de transtornos mentais e manias estranhas, mas principalmente nos deparamos com a realidade disso e o quanto pode ser cruel.
"Todos nós temos a nossa cota de tragédia, insanidade ou drama, o que faz toda diferença é o que fazemos com esse horror"  
Ela nos explica no livro que cansou de ver as coisas daquela maneira trágica e decidiu que "seria alucinadamente feliz só de raiva" ainda no livro ela diz "Ás vezes ser louco é perfeito.". É onde encontramos nosso título e que resume bem tudo que vem a seguir onde a autora narra as memórias com um bom humor fantástico, 

Tudo começou com um post magnifico em seu blog, nele dizia coisas que estavam presas dentro dela e que nunca havia dito por medo de sua não aceitação, mas tudo o que aconteceu foi exatamente o oposto! Jenny se deparou com histórias fantásticas de pessoas que se identificaram e comentários demonstrando o maior apoio, foi quando resolveu publicar o livro (seu segundo na realidade), para ajudar as pessoas que se encontravam naquela situação e seus amigos/familiares a auxiliarem no processo.
"É por isso que você precisa contar com os amigos, familiares e estranhos para lhe dar uma mão quando não consegue fazer o que precisa ser feito." 
Ao longo do livro além das histórias super engraçadas que Jenny conta sobre sua vida, também nos mostra que os transtornos mentais são sim uma doença importante, perigosa e que deveria receber a devida atenção, que é algo como o câncer, e que jamais alguém deveria se envergonhar de possuí-las.

Mas não se enganem, o que eu disse sobre a comédia presente no livro é realmente verdade, na sua maior parte é uma comédia bem ácida e sou obrigada a dizer que teve partes em que eu simplesmente não conseguia continuar a leitura porque estava me dobrando de tanto rir, perdi a página muitas vezes por conta disso. Quer melhor prova disso do que esse guaxinim alucinadamente feliz na capa? E se eu disser a vocês que esse guaxinim é um bichinho empalhado da autora? Que no livro tem muitas histórias fabulosas o envolvendo?

Agora só me falta completar com: Leiam esse livro, por mais estranho que possa parecer aos seus hábitos de leitura, ele não é somente uma comédia, ou um livro de memórias, muito menos um estudo sobre transtornos mentais e depressão, ele é a junção com tudo isso de uma forma super inovadora e fantástica. 

P.S: Desculpem pelas fotos não estarem valorizando 100% do livro.
"Poderia ser mais fácil. Mas não seria melhor." 

  • Compartilhar:

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

0 comentários

Espero que tenha gostado do post de hoje. Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post, e se devo trazer mais deste conteúdo para o blog.

Ahh, e aproveite e deixe seu link, para que nós do AB possamos retribuir sua visita!