Resenha - Tudo e Todas as Coisas

Por Nahh lima - 13 junho


Classificação:
★★★★
Título: Tudo e Todas as Coisas
Gênero: Romance / Drama
Autora: Nicola Yoon
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304
Ano: 2016

Sinopse:

"Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre."

Resenha:

Por diversas vezes me deparei com esse livro. Nas primeiras vezes achei que era mais um daqueles livros de colorir que tanto estavam fazendo sucesso, mais tarde descobri que não era esse o caso, contudo, continuei sem interesse de lê-lo, por isso o ignorava sempre que o via. Mal sabia eu que futuramente me arrependeria de não ter lido antes.

Tudo e Todas as Coisas é uma leitura fluida e divertida, cuja história encanta os leitores por ser recheada com um romance doce e singelo, com dramas familiares, e com medos, inseguranças e descobertas, característicos dessa fase de transição de jovem para adulto.

Ler esse romance foi uma experiência gostosa, que em alguns momentos me fez suspirar de amores e em outros me fazia pensar e refletir sobre a vida. Nesse contexto, acredito que a escolha da autora em construir a história narrando-a em primeira pessoa, foi uma decisão sábia, pois isso faz com que nos aproximemos ainda mais da personagem principal e nos identifiquemos  com os dramas e percalços de sua vida.


"Às vezes você faz as coisas pelos motivos certos e outras pelos errados.
 Há ainda aquelas vezes em que é impossível saber a diferença."

A história gira em torno da Madeline, ou se preferir, Maddy. Em primeiro instante conhecemos um pouco sobre quem é a Maddy e sobre a sua rotina, um tanto diferente dos jovens com a mesma idade que ela (18 anos). Acontece que ela possui uma doença muito rara chamada IDCG (Imunodeficiência Combinada Grave) que a torna alérgica a basicamente tudo. Por esse fato, ela passa todos os seus dias dentro de casa, onde tudo é filtrado, desde o ar que ela respira até alimentos, roupas, entre outras coisas. Ela não pode ter acesso ao ambiente exterior, pois isso poderia ser fatal para ela, e as únicas pessoas a quem ela tem acesso são a sua mãe, sua enfermeira, Carla, e de vez em quando, um ou outro professor que tem permissão de dar aulas a ela em casa. A propósito, ela cursa arquitetura.

Por ter passado toda a sua vida nessas condições, nós a descobrimos como uma pessoa calma, doce e conformada com a sua condição, afinal, ela não conhece nada do mundo lá fora e portanto, não tem do que sentir falta. Para ela, a relação que ela tem com a mãe e com a Carla, já basta. É claro que ela gostaria de interagir com outras pessoas, mas ela não cria problemas por não poder.

Isso tudo muda quando ela conhece o seu novo vizinho. Diferente dela, o Olly é mais extrovertido, desinibido e um pouco metido. Ele acaba de se mudar para a casa em frente e a vê na janela observando ele e a sua família. Depois de terminada a mudança ele tenta conhecê-la mas é barrado pela mãe dela. Como ele não é do tipo que desiste fácil, ele dá o seu jeitinho e logo eles começam a conversar por mensagens.

De pouco em pouco, a Maddy acaba se apegando ao Olly. Ele desperta sentimentos que ela nunca sentiu e revive nela a vontade de conhecer o mundo lá fora. É claro que a mãe dela nunca deixaria que isso acontecesse, ela não suportaria perder a sua filha, mas a Maddy não pode mais viver desse jeito, para ela, isso não é viver.

"Eu era feliz antes de conhecê-lo. Mas agora estou viva, e isso não é a mesma coisa."

Uma das coisas que gostei nessa história é que apesar de ela tratar em seu enredo de uma doença bem complicada, a autora optou por dar um tom mais leve ao livro, não deixando-o se tornar uma história pesada e triste. O foco principal do livro está na evolução e transição da personagem principal, portanto, por toda a obra vemos a autora intercalar momentos divertidos e doces, com momentos mais sérios.

Além disso, outros fatores que me chamaram a atenção na história foi a evolução dos personagens, Maddy e Olly, que é bem visível no decorrer da história, e também o desfecho do livro, que devo confessar, me surpreendeu muito. Eu não esperava essa conclusão da autora, mas de certa forma gostei.

"Tudo é um risco. Não fazer nada é um risco. Você decide."

Quanto a diagramação, não posso dizer como é o livro físico, mas posso dizer, pelo que percebi durante a leitura do e-book do livro, que ele deve ser encantador, pois o e-book já é muito fofo, cheio de desenhos, listas, recados, resenhas, e-mails, entre outras coisas, que vem para ilustrar e acrescentar na história. 

Pensando em demonstrar um pouco do que vocês podem encontrar durante a leitura do livro, coloquei algumas dessas ilustrações durante a resenha, como já devem ter percebido.

E antes que eu esqueça de comentar, o livro também conta com uma adaptação para os cinemas que pode ser conferida essa semana (aqui na cidade onde moro, já começou a pré estreia). Confiram o trailer do filme...


Espero que tenham gostado da resenha de hoje. Me contem nos comentários o que acharam da história e da resenha.

Até a próxima!!

  • Compartilhar:

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

4 comentários

  1. Olá!
    Eu dei a mesma nota para esse livro, hahah. Eu gostei bastante da história, mas o que me deixou um pouco triste foi o final, achei bem previsível, acredita? Eu ainda falei com o meu namorado o que eu esperava do final e aconteceu.
    Adorei a sua resenha. Realmente, a personalidade dos personagens chama atenção e a evolução deles chega a ser palpável :D

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mô

      Verdade, demos a mesma nota ao livro kkk. Que pena que não tenha gostado do final do livro.
      Fico feliz que tenha gostado da minha resenha, também gostei da sua :)

      Beijos!!

      Excluir
  2. Oi Nahh, tudo bem? Eu só vi a adaptação e gostei, embora não tenham desenvolvido bem alguns aspectos da trama, daí acabei com vontade de ler o livro!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi, estou bem e você?

      Eu recomendo que leia o livro, eu gostei bastante. Quanto ao filme, não posso falar muito a respeito pois ainda não o assisti. Mas pretendo fazê-lo em breve.

      Beijos!!

      Excluir