13 junho 2019

Crítica - Para todos os garotos que já amei


Gente, já quero começar dizendo que doce de filme! Eu não li a série de livros, então fui assistir as cegas e curiosa. 

Pra quem como eu não leu os livros, o filme vai contar a história de Lara Jean (Lana Condor), uma adolescente do ensino médio, que tem como seu maior tesouro cartas que ela escreveu para todos os garotos que já amou, essas cartas são de muito tempo atrás, quando era bem mais nova. Porém, ela guarda essas cartas, todas endereçadas, mas que jamais serão enviadas, é só uma lembrança dos seus amores. 

E é aí que acontece algo inesperado, as cartas de alguma forma são enviadas aos destinatários e esses garotos começam a aparecer pra falar com ela - imagine a situação gente - e ela fica totalmente desesperada. 

A partir daí, a gente acompanha Lara Jean e sua mudança total de vida depois que essas cartas foram entregues, acontece algumas coisas que jamais aconteceriam caso as cartas continuassem escondidas naquela caixinha no seu armário. Mas a coisa principal é a entrada de Peter (Noah Centineo) o garoto popular do colégio - e muito lindo - na sua vida.


Bom, pra não dar spoiler, chega de contar a história haha'. O estilo do filme gente, é aquele romance doce de adolescente, água com açúcar, daqueles que você fica suspirando e sonhando que alguma coisa assim possa acontecer com você também - como parar de suspirar eu não sei. 

A trama te leva fácil e nem dá pra perceber o tempo passando, a não ser no final quando você deseja que tenha maaais. 

Não tem grandes acontecimentos, nem grandes reviravoltas ou muito drama, não é um filme de tirar o fôlego, é um filme de singulares suspiros e muitas cenas fofas. Pra você que gosta de filmes doces, com toda certeza vai gostar de Para todos os garotos que já amei.

Quem já assistiu, please, me conta se também ficou com o coração quentinho. 
FICHA TÉCNICA    

Nota do crítico: ★★★☆♡
Título original: To All the Boys I've Loved Before
Origem: Estados Unidos
Gênero: Romance 
Duração: 99 min
Trailer: Clique Aqui
Direção: Susan Johnson
Ano: 2018
Sinopse: O longa original Netflix acompanha a história de Lara Jean Song Covey (Lana Condor) uma jovem muito sonhadora e cheia de amores platônicos. Lara escreve cartas como uma forma de se despedir dos amores passados, uma forma de exorcizar seus sentimentos. Porém essas cartas não são escritas para serem entregues, ela as guarda em uma caixa de chapéu dada pela sua falecida mãe, quando ela ainda era criança. Porém, em uma reviravolta as cartas são enviadas e a protagonista terá então que lidar com o passado e com sentimentos ainda adormecidos.



2 comentários:

  1. É um filme quentinho no coração. Eu assisti porque tava fazendo maratona de Noah Centineo hehe e acabei encontrando uma história que me encantou muito. Eu amo romances clichês e esse me entregou exatamente o que prometia. Adorei.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maratona de Noah não tem como ser ruim ne?! Kkkk. Também amo clichê, dá uma sensação gostosa demais. Obrigada pela visita Lary ^^

      Beijos

      Excluir

Espero que tenha gostado do post de hoje. Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post, e se devo trazer mais deste conteúdo para o blog.

Ahh, e aproveite e deixe seu link, para que nós do AB possamos retribuir sua visita!