Galeria post recentes

Entrevista - Josy Stoque


Faz tempo que não trago esse tipo de post aqui pro blog e por isso estou muito feliz de fazê-lo.

O AB está a caminho de seu segundo ano em parceria com a autora Josy Stoque e, por isso, achei que estava mais que na hora de fazer uma entrevista com a autora e aproveitar para tirar toda a minha curiosidade a respeito de sua carreira e suas obras, e como extra, apresentar mais informações sobre a autora para os leitores aqui do AB e instigá-los a ler os seus livros.

ENTREVISTA COM A AUTORA

Quem é Josy Stoque?

Sou pisciana, sonhadora, viciada em séries e livros, e amo gatos.

Quais os seus hobbies?

Ler, assistir séries, ir ao cinema, ir ao clube do livro e sair com os amigos.

Quais os seus autores ou livros favoritos, aqueles que te inspiram?

Vou retomar minha adolescência! Hahaha Sidney Sheldon, Stephanie Meyer, Machado de Assis, Agatha Christie…

Como leitora, o que você indicaria para lermos? Fora todos os seus livros, é claro kkkk. 

Bons livros nacionais, como Vanessa Bosso, Danilo Barbosa e Mila Wander, por exemplo.

Qual o seu processo para escrever, seu ritual de escrita?

Não tenho mais porque hoje sou só escritora, então, eu separo as horas do meu dia para fazer tudo o que preciso, inclusive escrever.

Uma das grandes metas de um escritor, e provavelmente a mais difícil, é conseguir ter o seu primeiro livro publicado. Como foi para você essa experiência?

Foi fácil e rápido, mas eu paguei para uma editora por demanda, que não distribuía nas livrarias. Depois de dois anos tentando vender meu lote de livros impressos por conta própria, na raça mesmo, veio a Amazon para o Brasil, com sua linda plataforma de autopublicação, que facilitou ainda mais. Hoje meus livros estão espalhados para o mundo todo, nos formatos digital e impresso.

Quando você começou a escrever você partiu para a fantasia. Por que escolheu esse gênero literário?

Eu não escolhi o gênero, a história me escolheu. Eu tive a ideia e ela foi crescendo e se transformou em uma saga de fantasia. Eu só sabia que queria escrever algo original e surpreendente.

O que a levou a mudar de segmento literário e como foi essa transição?

Como eu disse na resposta anterior, eu não escolho, a vida me leva kkkkkkkkkk. As ideias vêm e elas não ficam catalogadas por gênero. Eu conheço uma penca de autores que só escrevem um tipo de livro, mas também conheço outros que escrevem de tudo, como eu. Acho que ajuda o fato de eu ser uma pessoa que não gosta de mesmice e sempre está buscando algo novo e diferente. Por isso eu não me atenho a um só gênero.

Faz pouco tempo que o segmento erótico na literatura se tornou mais popular entre os leitores. Como autora de livros eróticos, como você vê essa mudança de quando você estava no começo da carreira para agora?

O erótico me mostrou para o mercado, é verdade, mesmo que eu não tenha começado a escrever por causa dele. Meu primeiro livro hot foi escrito antes do boom do gênero. A verdade é que o romance, em geral, vende mais de qualquer maneira. O erótico em si é só uma pimenta que as leitoras aprenderam a admitir que gostam devido ao empoderamento feminino. Mesmo em meus livros de fantasia, tem romance porque eu sempre fui romântica, e uma pitada de realismo, porque eu gosto de escrever personagens reais.

Uma das características marcantes em suas obras é a criação de personagens femininas com personalidades fortes e marcantes. Poderia explicar por que resolveu criar personagens com este tipo de personalidade?

Porque eu gosto de protagonistas com quem eu me identifico quando eu leio, e não poderia escrever personagens femininas fracas se eu não sou assim e não gosto que mulheres sejam na vida real. Nós temos o poder e não devemos abaixar a cabeça para ninguém. Sim, sou feminista e isso está bem claro nos meus textos.

Um dos aspectos em um livro do qual eu gosto muito é quando, por trás da história, os autores tentam passar uma mensagem. Qual a principal mensagem que você busca trazer em suas obras?

Minhas histórias sempre possuem mensagens por trás, acredito que isso dá propósito ao enredo. Porque o importante não é a chegada e sim a jornada, e o caminho da protagonista tem erros e acertos que a tornarão mais forte e melhor no fim. Assim somos nós também. Eu procuro passar mensagens de fé em si mesmo, empoderamento, respeito, igualdade, realização de sonhos, amor-próprio, família, amizade e romance.


Mesmo sendo autora de romances eróticos, você não se limita somente a isso. Um exemplo desse fato seria a Coleção Amanhã, que aborda a temática policial. Como foi escrever um romance erótico policial, foi preciso muita pesquisa?

Foi muito massa! Meu primeiro livro, escrito na adolescência e não publicado, foi um policial. Eu gosto do gênero, me instiga. Fico pilhadinha, tentando desvendar o mistério em torno da história. Escrever foi uma delícia, mesmo com as partes tensas, e foi preciso muita pesquisa para tudo, inclusive sobre temas atuais, que eu incluí em cada história para dar um toque de realismo.

Durante a leitura de Puro Êxtase (primeiro livro da trilogia), percebi que se tratava de uma história de auto descoberta por parte da personagem. Em meu ponto de vista, esse foi um excelente tema para trazer para dentro de um livro, achei interessante abordar esse aspecto de quebra de tabu, de liberdade, de encontrar a si mesmo e ser quem quiser ser. Era esse o seu objetivo?

Sim, era. Empoderamento na veia! Kkkkkkkkkkkkkkk Eu passei por isso. Tive um relacionamento abusivo e infeliz porque acreditava que era isso que merecia, por não me amar antes dele. No fim, ele pediu o divórcio e eu fiquei perdidinha, porque vivia a vida dele e não a minha. Eu também fiz minha própria jornada de autoconhecimento, assim como a protagonista. Uma jornada que todos deveríamos fazer antes de nos entregar para outro. Porque não seremos capazes de amar o outro se não nos amarmos antes. A tendência é que seja um relacionamento destrutivo como tantos outros. Resolvi escrever essa história exatamente para ajudar tantas outras mulheres a se descobrirem antes de se entregarem para alguém. O que se vê no mundo hoje é muita imaturidade emocional (falo por mim mesma, só amadureci aos 30 anos e foi na “pancada” da vida!), por isso os relacionamentos não duram e não fazem nenhum dos dois felizes como deveria. A gente tem que se entender e se aceitar antes de envolver uma segunda pessoa, e acabar usando-a de muleta para seus problemas emocionais. O outro não tem que te assumir 100%, tem que estar do seu lado, te apoiando, enquanto você se assume.

Entre as minhas leituras das suas obras, o livro que mais me chamou a atenção e me surpreendeu foi o Eu Nunca, principalmente por causa dos personagens, a Paulina com o seu jeito livre e descontraída e o Joseph com seu jeitinho tímido e fofo. Isso fora as belezas exuberantes que eles encontram pelo Brasil. Minha pergunta é... de onde surgiu a ideia para a história, como se deu  a construção dos personagens e como foi conduzi-los por tantos lugares incríveis pelo país?

Se você analisar bem, vai ver que a história mostra, de um jeito engraçado, como relacionamentos podem ser construtivos quando você aceita a individualidade e as diferenças do outro. Afinal, relacionamentos são uma troca, não muletas ou objetos que podem ser moldados, como se fossem massa de modelar. Estamos falando de pessoas e não existe nada mais complexo do que a humanidade, que muda completamente de um indivíduo para outro. Portanto, não existem regras de comportamento que sirvam para todos, apenas uma: respeite o outro como gostaria de ser respeitado.

A ideia surgiu conversando com Mila Wander. Ela falava comigo para escrevemos juntas há um bom tempo. Então, trouxe o plot: moça maluquinha ganha na loteria junto com um virgem e ambos viajam pelo Brasil. A partir daí, construímos a história e as personalidades deles. A proposta era criarmos uma comédia romântica, com pitadas eróticas, porque sim, entre dois completos opostos. Os cenários de plano de fundo são incríveis para construir uma história de amor inusitada e, de quebra, mostrar para o brasileiro as belezas escondidas em nosso país. É uma viagem divertida, apaixonante e muito nacional, com direito a comidas típicas e sotaques dos mais diversos. Fora que criamos um roteiro maravilhoso de viagem que estou louca para começar a visitar!

Eu acho que autora nacional tem que priorizar histórias em nosso território, com quem os leitores se identifiquem de alguma forma. Mila pensa como eu, por isso essa história deu tão certo.

Algumas de suas obras foram escritas em parceria com outras autoras. Como  foi escrever em parceria com outras autoras e qual o diferencial de escrever sozinha?

Primeiro foi com a Gisele Galindo. A gente sempre falava muito sobre nossas obras uma com a outra, conversávamos todos os dias, então, leitoras nos pediram para escrever romances, sem toques de fantasia (ambas tínhamos escrito séries fantásticas rsrs). Juntas acabamos criando Insensatez, que foi tão incrível de escrever, que demoramos apenas três semanas. Foi exatamente um capítulo por dia. Kkkkkkkkkk A gente não dormia direito, não comia bem e, quando terminamos, estávamos exauridas, mas supersatisfeitas com o resultado final.

Depois foi com a Mila Wander. A gente se adora! Hahahahaha Tipo, muito amiga, muito fã, muito apoiadora! Até viramos leitoras-beta uma da outra! HAHAHAHA Então, escrever Eu Nunca com ela, e depois Proteja-me é sempre um aprendizado incrível. Demoramos dois meses para escrever cada livro, mas sempre acaba e me deixa muitas saudades. A gente tem uma sintonia maluca. A gente completa o pensamento e as palavras uma da outra, sem precisar discutir o assunto. É claro que algumas coisas tivemos divergências, mas nada que não pudesse ser superado, com muito respeito. É sempre uma experiência sensacional dividir uma história intensa, divertida ou dramática, com minha ídola. Não vejo a hora de escrever mais!

Com tantos livros publicados, me conte, você tem algum preferido?

É sempre o último, né. O melhor, o queridinho, o livro do momento! Kkkkkkkkkkkkkkkkk Não sou boa em escolher preferidos, viu pela lista de autores inspiração, não pude escolher um só, e teria escrito uma lista se pudesse hahahahahahahahaha Cada um eu gosto por um detalhe, mas todos eu amo pela originalidade e mensagem. Eu sempre me supero a cada texto, quero dizer, no sentido de cresço como profissional, trabalho para isso, pelo menos, e sinto que me torno melhor. É isso que me importa: crescer profissionalmente e emocionar mais e mais leitores.

Seus livros já foram lidos por diversas pessoas e muitas delas gostam de expressar a sua opinião sobre as suas histórias, portanto, acredito que já tenha recebido diversas críticas, sejam elas positivas ou negativas. Como é, para você, lidar com essas criticas?

Eu levo de boa, respeito a opinião de todo mundo, só espero por um pouco mais de educação da parte de algumas pessoas, que não sabem expressar opinião sem ofender. Mas no geral, vai tudo bem e me dá um feedback sobre a aceitação da obra, que é o que importa de verdade.

Conte-me um pouco sobre o que te faz feliz, sobre as suas conquistas e o que de bom a escrita lhe trouxe.

A escrita me completa, é uma extensão de mim, é uma maneira que sempre tive de me comunicar. Ela me faz refletir, me autodescobrir, me entender e aceitar o outro como é. Foi a escrita que me salvou da depressão após o divórcio e com a qual fiz terapia para superar meus medos e ansiedades. Também foi a escrita que me deu as maiores conquistas, como ser escritora, ganhar por isso e pagar as contas com meu trabalho, que um dia falaram que não me daria dinheiro. Também fui traduzida para o inglês e distribuída nos países que falam a língua. Sou case da Amazon, tenho 14 livros escritos e publicados e milhares de fãs pelo Brasil, e por que não, pelo mundo. Sou uma das autoras nacionais mais vendidas na plataforma de autopublicação da Amazon e tenho muito orgulho de ter lutado e nunca desistido do meu sonho.

Pra você, qual a melhor coisa em ser escritora? O que te motiva a continuar escrevendo?

A melhor coisa de ser escritora é poder ser eu mesma e fazer aquilo que eu mais gosto o tempo todo, sem ter que dividir com outra atividade. Hoje, o que me motiva, são meus leitores fiéis, que esperam minhas próximas histórias com ansiedade.

Para a curiosidade de todos, me diga... já tem algo em mente, algum projeto em que esteja trabalhando?

Vários kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Tenho mais 3 livros em mente para a Coleção Amanhã e só não comecei o terceiro ainda porque estou terminando a revisão de Mexa Comigo. Tenho uma comédia romântica, um romance erótico e uma distopia na lista. Fora outros projetos em parceria, que ainda são surpresa.

Agora, falando um pouquinho sobre o futuro, quais o seus planos e sonhos para a sua carreira a partir daqui

Colocar todos meus livros nas livrarias kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Assinei com um agente literário e espero conseguir esse feito em breve. Se não, vai estar impresso na Amazon, podem ter certeza. E, quem sabe, um livro virar filme? Rsrsrsrs Esse sonho nunca vai morrer!

Que tal deixar um recadinho aos nossos leitores aqui e a todos que amam as suas histórias e os seus personagens impactantes.

Muito obrigada por lerem e compartilharem minhas histórias. Vocês são demais. Espero continuar surpreendendo vocês. Escrevo com amor e fico muito feliz quando recebo amor de volta. Amo vocês.

Espero que tenham gostado da entrevista de hoje. Gostaria de agradecer a autora por ter separado um tempinho para responder as minhas perguntas. Sei que provavelmente exagerei na quantidade das perguntas, portanto, muito obrigado por respondê-las Josy!!

Para quem quiser acompanhar de perto o trabalho da autora e se maravilhar com as suas obras, confira os links abaixo.

SITE          FANPAGE          SKOOB          TWITTER          WATTPAD

Aproveitando essa deixa... confiram as resenhas de Eu Nunca e Puro Êxtase que publicamos aqui no blog.

EU NUNCA          PURO ÊXTASE 

E não se esqueçam... deixem aqui abaixo os seus comentários. Me contem o que acharam da entrevista e se gostariam que eu trouxesse mais posts assim.

Até a próxima!!

4 comentários

  1. Oie Nayara, tudo bem?!
    Uau! Eu não conhecia a autora, e fiquei super curiosa pra conhecer o trabalho dela. Erótico é comigo mesmo!!
    Adorei suas perguntas, parabéns. Normalmente são sempre as mesmas, mas nas suas vi originalidade!!
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca, estou bem e você?

      Que legal eu ter sido a responsável por apresentar a autora a você. Eu super recomendo a leitura dos livros dela, principalmente a obra "Eu Nunca".
      Fico feliz de saber que gostou das minhas perguntas, eu sempre procuro colocar perguntas interessantes e principalmente satisfazer a minha curiosidade :)

      Beijos!!

      Excluir
  2. Nayara, amei, até reli a entrevista toda hahahahahahah obrigada. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Josy

      Estou super feliz de ter feito a entrevista com você. Muito obrigado mesmo *-*

      Beijos!!

      Excluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.